Alagoas, Quinta, 15 de Novembro de 2018
  • Enviar e-mail
  • Facebook

Crise do petróleo: solução foi criada em Alagoas há quase 100 anos; saiba mais aqui

Publicado em 25 de Maio de 2018

por Rodrigo Cavalcante

Ao que parece, cem anos de crise e oscilação no preço do barril de petróleo não são suficientes para o Brasil aprender uma simples lição.  

Em meio ao recente caos provocado pela greve de caminhoneiros decorrente do aumento do diesel e da gasolina e do dólar, nossos gestores e parlamentares terão que se perguntar, mais uma vez, por que abandonaram as políticas para estimular a produção de combustíveis renováveis como o etanol (o Renova Bio, por exemplo, que incentiva a produção de biocombustíveis sem aumento de impostos ou subsídios, ainda hoje aguarda regulamentção)?

O curioso é que, décadas antes do primeiro choque do petróleo, em 1973, que resultou dois anos depois no Proálcool, e até mesmo antes da criação do Instituto de Açúcar e Álcool, em 1933, Alagoas já havia sido pioneira no país na criação de uma marca de combustível alternativa à gasolina.

Em 23 de junho de 1927, a Usina Serra Grande, em São José da Laje, lançou na cidade de Recife o USGA (silga de Usina Serra Grande Alagoas), anunciado em jornais da época como o “Pioneiro dos Combustíveis Nacionais à base de Álcool”.

É que, ao contrário dos que muitos imaginam, o automóvel flex não é propriamente uma invenção recente da indústria automobilística brasileira. O “Ford T”, primeiro carro produzido em série vendido nos Estados Unidos a partir de 1908 e montado no Brasil entre 1919 e 1926, na cidade de São Paulo, é considerado o primeiro carro flex no mundo por ter unidades que rodavam no Brasil com Álcool – principalmente em Alagoas e Pernambuco, onde “queimavam USGA”. Em 1925, no jornal The New York Times, o próprio Henry Ford já previa que “O álcool é o combustível do futuro”.

No Brasil, infelizmente, o futuro parece adiado.

Apesar da boa aceitação do USGA em Pernambuco, Alagoas e até em outros Estados do Nordeste, o pioneirismo tecnológico da Usina Serra Grande foi destronado pela queda do preço da gasolina, assim como mais tarde seriam abandonados o Proálcool, e, mais recentemente, o anúncio da descoberta do Pré-Sal fez o governo abandonar programas de estímulo de combustíveis renováveis.

Quase cem anos depois do alagoano USGA, será que, finalmente, aprendemos a lição?   

A fachada da Usina Serra Grande hoje: quase 100 anos de pioneirismo



  • Ideias
  • Agenda A ideias é um espaço plural discussão de temas comprometidos com a melhoria do ambiente de negócios e da qualidade de vida dos alagoanos.

  •  
  • Turismo
  • Vídeos

© AGENDA A 2013. All rights reserved