De sururu de capote à tanajura frita: Nide Lins lança livro com algumas das melhores receitas alagoanas

Publicado em 21 de Jun de 2018

por Rodrigo Cavalcante

Até entre os amigos e colegas jornalistas, Nide Lins tem fama de chata (e, às vezes,  ranzinza) quando o assunto é comida – principalmente quando ela se depara com pratos pomposos, falsamente sofisticados e, claro, pouco sabor.

Criada em um sítio na Mangabeiras entre as receitas da avó, Tila, e da mãe, dona Nia,  Nide desde cedo se apaixonou pelo que há de melhor na culinária alagoana, seja à mesa tradicional das famílias ou à mesa simples de plástico de botecos populares comandados por cozinheiros quase anônimos – muitos deles conhecidos graças aos textos de Nide em seu blog que resultou também em livros como Guia de Bares e Botecos de Alagoas.

Na próxima segunda (25), Nide Lins lança, pela primeira vez, um livro de receitas - não receitas criadas por ela, como deixa claro, mas selecionadas criteriosamente em quase duas décadas de boa mesa ao lado de amigos, cozinheiros de botecos e chefs de restaurantes premiados. “Além do critério pessoal, fiz questão apenas de uma coisa: que todas as receitas tivessem em comum o uso de ingredientes alagoanos ”, diz Nide.

No livro “Receitas das Alagoas - Cozinha de boteco, de chef, de rua e de tradição" o leitor poderá conferir, por exemplo, como se faz clássicos da culinária alagoana como o sururu de capote (acompanhado de pirão), refeição que praticamente desapareceu dos restaurantes e das casas alagoanas em tempos da praticidade da compra do sururu “despinicado” (que, como ela atesta, não tem o mesmo sabor). Poderá também se deparar com receitas com ingredientes raros e até voláteis, como a tanajura (frita acompanhada de farofa), de tradição indígena, que fez Nide trilhar o Litoral Norte no período de chuvas para provar a iguaria indicada pelo colega jornalista Jorge Sebage.  

Engana-se, contudo, quem imagina que o livro é apenas mais um repositório de pratos tradicionais ou curiosos em busca da ancestral culinária alagoana. Entre as receitas, há espaço de sobra para a inovação de uma nova safra de chefs, como Paula Quintella, do restaurante Aratu, na Massagueira, que criou uma versão contemporânea de prato de siri, sem leite de coco, mesclado com banana da terra e tendo por molho uma lactonese (maionese sem ovo) que leva o coral do siri.

Uma prova de que, quando o assunto é a boa comida alagoana, Nide não tem nada de ranzinza – e, sim, muita generosidade.

 

Seviço

Lançamento do Livro "Receitas das Alagoas - Cozinha de boteco, de chef, de rua e de tradição"

Data: 25 de junho, às 18h

Local: Jardins do Palácio do Governo do Estado, Centro de Maceió



  • Ideias
  • Agenda A ideias é um espaço plural discussão de temas comprometidos com a melhoria do ambiente de negócios e da qualidade de vida dos alagoanos.

  •  
  • Turismo
  • Vídeos

© AGENDA A 2013. All rights reserved